Grupo Bongar

Musicalidade vivenciada nos cultos afro-brasileiros

O Grupo Bongar foi fundado em 11 de agosto de 2001, com o propósito de mostrar a cultura Xambá e difundir a batida peculiar do Coco da Xambá. O Bongar realiza um trabalho de resgate e divulgação da cultura Xambá e do tradicional coco que acontece na casa há mais de 40 anos, todo dia 29 de junho. Os integrantes do grupo fazem parte desta Nação, instalada no Recife desde 1930. A Casa tem uma história de lutas e resistência ao preconceito e à cultura afro-brasileira e é a única dessa linhagem que se tem conhecimento no Brasil, sendo uma referência no Estado de Pernambuco.

O Bongar tem uma musicalidade muito forte de diversas influências musicais, vivenciadas nos cultos afro-brasileiros, principalmente na linhagem Xambá, que é referência musical no País e em Pernambuco, devido à batida peculiar de seus engomes nos toques religiosos do terreiro. Os integrantes do grupo herdaram toda essa musicalidade desde a infância, ouvindo os mais velhos e aprendendo com eles os toques, as músicas, as loas e as danças, durante as festas realizadas na Casa Xambá. Eles também receberam influências externas de manifestações culturais que vinham visitar o terreiro no período carnavalesco, junino e natalino. Por isso, nas apresentações do Bongar, podemos observar a influência do maracatu, do frevo, do caboclinho, do coco de roda, do coco de umbigada, do coco da xambá, da ciranda, do bumba-meu-boi e do samba de roda. No repertório do grupo poesias e loas que falam da resistência da Nação Xambá e da cultura afro-brasileira e que contam a religiosidade, a festa do coco e o dia a dia do povo da Xambá.