Aécio dos Oito Baixos

Meu nome é Aécio Ramos Pereira, sou mais conhecido como Aécio dos oito Baixos, nasci em Sirinhaém-PE, no dia 17 de julho de 1957, filho de José Ramos Pereira e Maria José da Silva. Aos dois anos de idade no ano de 1959, sai de Sirinhaém vindo residir no Cabo de Santo Agostinho, mais exatamente em Ponte dos Carvalhos onde moro até o dia de hoje.

Sou de família artística, onde meu pai, o Sr. José Ramos Pereira e meu irmão mais conhecido como Arlindo dos Oito Baixos, me influenciaram a tocar. Aos doze anos de idade presenciei meu irmão chegar de um show e colocar a sanfona de oito baixos em cima da mesa, peguei e comecei a tocar. Meu irmão vendo aquilo teve de me presentear com a minha própria sanfona. Depois do presente me interessei tanto pela sanfona que esqueci dos estudos. Meu pai preocupado com meu futuro decidiu vender meu instrumento; depois disso me interessei pelos estudos e só voltei a tocar no ano de 1981, exatamente um ano depois do falecimento do meu pai.

Mesmo depois de tantos anos sem tocar, não foi muito difícil recomeçar, pois já tinha uma boa prática da infância, até que um grande amigo que tem por nome Pedro Perigoso, começou a me levar às suas apresentações, onde fui começando a minha vida artística. Daí prá frente comecei a andar com minhas próprias pernas, me apresentando com carreira solo no Teatro Apolo, numa homenagem feita a Luiz Gonzaga. Nesta apresentação conheci Ivan Ferraz, que apresentava o Programa Forró Verso e Viola, na TV Pernambuco, onde fiz uma participação especial, daí comecei a viajar fazendo turnês em várias cidades do Nordeste, nos Estados de Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Bahia, etc.

No ano de 1986, compus minha primeira música que tem por título Forró em Monteiro, que foi gravada por Flávio José. Desde então surgiram várias outras como por exemplo, Nem Oito Nem Oitenta, que foi gravada por Arlindo dos Oito Baixos, e Pulando a Porteira e Correndo, que foi gravada por mim mesmo num CD em comemoração aos 500 anos de Pinzón.